Blog

O direito das crianças à cidade. Nº 21 (2019)

Andando por ruas e avenidas, a gente pode pensar que a cidade é de todo mundo que mora nela. Mas, se prestarmos atenção direitinho, percebemos que algumas pessoas parecem ter mais direito ao espaço urbano do que outras. 

Algumas famílias moram perto de padarias, lojas, bancos, farmácias e supermercados. Outras, precisam pegar um ou mais ônibus para resolver problemas simples do dia a dia. 

Algumas pessoas chegam à escola ou ao trabalho em alguns minutos. Outras gastam horas do seu dia no trânsito. 

Homens e mulheres não se sentem igualmente seguros andando nas ruas. As calçadas são mais perigosas para os idosos do que para os jovens. E quem usa cadeiras de rodas? Consegue se locomover nas ruas e utilizar os transportes coletivos? E a sinalização das cidades? Atende aos cegos e aos surdos? 

E as crianças? Será que elas têm direito à cidade? Confira com a gente:

O que é o direito à cidade?

Os direitos das crianças à cidade

O direito à moradia

O direito a espaços para brincar

O direito à mobilidade

O direito à participação

A extinção do Ministério das Cidades

Quiz

Quebra de decoro. Nº 20 (2019)

 

Existe um sem número de frases como estas, que são repetidas há muitas e muitas gerações. Mal os bebês se livram das fraldas, os pais já começam a ensinar um conjunto de regras consideradas importantes para vivermos juntos. 

Quando a criança vai para a escola pela primeira vez, descobre que essas regras não são universais. O que ela aprendeu em casa, nem sempre vale na escola. E vice-versa. Por exemplo, em muitas casas não é permitido brincar com tinta, mas nas escolas isso é permitido, sim. Por outro lado, nas conversas em sala de aula, é costume levantar a mão para pedir a vez de falar, mas é estranho fazer isso em um almoço de família. 

Com o passar dos anos, as coisas ficam ainda mais complicadas. Descobrimos que cada lugar ou grupo de pessoas tem regras específicas que formam um código de conduta. A palavra código é muito boa, porque as normas nem sempre são claras e muitas vezes precisam ser decifradas.

(Se você já mudou de escola e teve a sensação de não saber como se comportar, sabe bem do que estamos falando.) 

As regras de conduta não são apenas um esnobismo ou coisa de gente metida (mas às vezes são isso também). Quando bem aplicadas, elas servem para nos ajudar a viver melhor em sociedade, respeitando os direitos de todos.

E claro, essas pequenas leis da boa convivência não valem apenas para as crianças. Adultos e até mesmo os chefes de Estado precisam seguir normas de civilidade. O bom comportamento dos políticos, por exemplo, é chamado de decoro. Quando acontece uma falta de educação nesse meio, dizemos que ocorreu uma quebra de decoro

Por obséquio, você gostaria de nos acompanhar nesse tema? 

 

Quem inventou os bons modos?

Regras de etiqueta para crianças do século XVI (Parte I)

Regras de etiqueta para crianças do século XVI (Parte II)

E quando os governantes são mal-educados?

O primeiro deputado cassado por quebra de decoro

Escuta essa: Ana Costa

A opinião de quatro crianças sobre o assunto

Teste seus conhecimentos. Quiz Nº 20