Quando surgiu a mineração exploratória?

Quando os europeus chegaram na América Latina, esperavam encontrar ouro e prata. Na parte do continente que foi explorada pela Espanha, essa tarefa foi mais fácil: os povos nativos já usavam esses metais, sabiam onde encontrá-los e como extraí-los. 

No Brasil, o processo foi diferente. Os portugueses não encontraram ouro ou prata imediatamente e acabaram explorando outras riquezas, como o café e o açúcar. Só depois é que os colonizadores encontraram metais, principalmente nos estados de Minas Gerais e do Mato Grosso. Apesar de abundante, o ouro ali não podia ser extraído facilmente, era necessário construir minas para encontrar e retirar os minerais debaixo do solo. 

De lá pra cá, a mineração se consolidou como uma atividade econômica lucrativa, mas deixou um rastro de prejuízos para o meio ambiente e para a população até hoje. Além de atingir Minas Gerais, a mineração também é um problema em outras regiões do Brasil, como o Pará, que é atualmente o estado com maior extração de minérios no país. Ali, a atividade mineradora muitas vezes atinge territórios da Floresta Amazônica, provocando desmatamento até mesmo em Unidades de Conservação, que são espaços protegidos pelo poder público por serem fundamentais para o meio ambiente da região.

Mas além de provocar desmatamento, a atividade mineradora também traz outros riscos.